quarta-feira, 30 de junho de 2010

Uma nova história do homem (em francês)

Segundo as pesquisas da Profª ANNE DAMBRICOURT MALASSÉ, do Instituto de Paleontologia Humana de Paris, ela acredita ainda que a evolução possui um componente genético, o que complementa a Teoria de Darwin, que afirma ser a evolução apenas ocasionada pelas variações dos meio aliada ao acaso das mutações.

Leia maiores detalhes AQUI e assista aos vídeos abaixo. Parece estar faltando a última parte, mas já dá para ter uma boa ideia.


VÍDEO 1







VÍDEO 2



VÍDEO 3







VÍDEO 4




VÍDEO 5

9 comentários:

Hugo Hoffmann disse...

Caro Elyson Scafati,

Quero agradecer o comentário e a crítica deixada neste blog, pois todos eles serão bemvindos quando permitirem aumentar a qualidade dos assuntos abordados através deste um debate inteligente.

O post sobre o pelicano de longe teve o objetivo de anunciá-lo como único animal que não sofreu uma macroevolução (morfológica) durante uma boa quantidade de tempo, apenas de analisar o quão interessante é a resposta do organismo a um processo não muito bem compreendido nem mesmo pelos que os defendem.

Sobre o desengavetamento do fóssil, peço-lhe desculpa caso meu humor não o tenha atingido da mesma forma. Considere-o apenas como uma analogia a alguns fatos que existem a possibilidade de ocorrer, independente de qual seja a cosmovisão a ser seguida: todos são humanos.

Com todo respeito, não concordo com a colocação do quarto parágrafo, quando você diz "quando acham", pois as evidências são produzidas por cientistas evolucionistas, por sinal.

O lado bom do Evolucionismo é que os seus defensores (voluntários ou não) produzem provas que trazem questionamentos teóricos a própria teoria e isso está longe para ser mérito de argumento que há apenas e unicamente a busca pela verdade, quer seja onde ele nos leve, o "Homem de Nebraska" está ai para nos contar.

Sugiro e leitura o seguinte link:
[1] - http://alogicadosabino.wordpress.com/2010/01/29/a-primeira-todos-podem-cair-a-decima-so-cai-quem-e-burro/

Ideologia, lhe pergunto, você está livre dela? Eu poderia afirmar que o seu comentário está carregado do mais amplo sentido do termo.

Concordo contigo em um ponto: a sinceridade na pesquisa científica nunca deve ser deixada de lado. Por isso, eu te reconheço que, tanto a TDI quanto a Teoria do Criacionismo existem limitações sem explicação factual e por isso elas são chamadas "teorias" e não "leis", assim como a TEORIA do Evolucionismo.

O grande problema da maioria dos comentários é que são carregados de teorias apenas, poucos são os que trazem algo de novo em seus argumentos e mínimos ainda são os que realmente praticam ciência e vivem dela e para ela.

Concordo que existam ignorantes em todas as áreas, pessoas que não fundamentam seus argumentos, tanto no TDI, tanto no TC como também na TE.

Sobre o registro fóssil sugiro a leitura:

[2] - http://alogicadosabino.wordpress.com/2010/01/15/a-nao-evolucao-do-registo-fossil/

Quero parabenizá-lo pelo seu blog "Ciência x Religião", apesar de que considero errôneo o título, pois, para mim, não pode haver discussão em comum de movimentos distintos.

“Chegamos assim a uma concepção de relação entre ciência e religião muito diferente da usual... Sustento que o sentimento religioso cósmico é a mais forte motivação da pesquisa científica.” (Albert Einstein)

A afirmação que a Teoria do Criacionismo é a mesma coisa que Design Inteligente demonstra ignorância e desconhecimento de ambas. Mas como eu disse, sempre o mesmo discurso...

Atenciosamente,

Hugo Hoffmann
Biólogo

Elyson Scafati disse...

Sinto muito Hugo, mas não perderei meu tempo com a "Ilógica" do Sabino. Os arguementos dele são risíveis assim como os do Enézio e do reattante do top-five dos criacionistas mais desonestos (Adauto, Naor, Eberlin, Michelson e Malafaia).

Sobre DI e criacionismo, vc deveria se inteirar mais da história do movimento DI, pois suas raízes estão no criacionismo. Mas simplesmente transformam deus no "designer" o qual evitam de falar sobre.


Aqui vai uma pesquisa que fiz sobre o movimento:

http://cienciaxreligiao.blogspot.com/2009/11/design-inteligente-teoria-da-conclusao.html

Daí, DI é criacionismo requentado sim. Assim, acho que vc é quem deve rever sua conceituação e diferenças entre ambas.

Quando eu disse "acham", é óbvio que não me referi a criacionistas e seus requentados pesquisarem algo com seruiedade. Tal tarefa cabe a cientistas de verdade. O acham é referente ao achismo de vocês.

Elyson Scafati disse...

Homem de Nebraska e Piltdown são as meninas dos olhos de vocês, mas a história não é bem assim. Ambos sempre foram contestados por cientistas, pois não se encaixavam em lugar nenhum na árvore evolutiva humana. Até que a farsa acabou, pois foram os mesmos cientistas evolucionistas que os derrubaram.

leia aqui sobre o tema:

http://ceticismo.net/comportamento/tipicos-erros-criacionistas/parte-07-%E2%80%93-paleontologia-ii/

Meu, vc é mestrando e se confunde entre o que é hipótese e teoria?

Hipótese é suposição, proposição ainda não demonstrada;

Tese é a proposição tida como verdadeira, pois já foi suficientemente demonstrada;

Teoria é um conjunto de teses e princípios fundamentais sistematicamente organizados sobre determinado assunto; Assim, tanto a relatividade como a evolução são teorias e possuem teses suficientemente confirmadas que lhes dão respaldo.

Mas é claro, se alguém encontrar algo que as contrariem, serão revistas, mas é muito provável que seu cerne não se modifique em nada.

Lei é o enunciado de uma relação necessária e constante entre fatos e fenômenos. Como a lei da gravitação universal. Esta somente se demonstra empiricamente.

Assim, teoria está em um nível bem mais elevado que meras hipóteses. Tudo em ciência é teoria e, como mestrando, já deveria estar ciente disso, desde a graduação.

Quando trato de temas científicos deixo minhas ideologias de lado, uma vez que são assuntos meus de foro íntimo (se creio ou não em deuses, se sou petista ou psdebista se sou judeu ou budista, é assunto meu).

Meu compromisso é com a verdade e não em defender uma crença. Se estou errado, agradeço quem me corrige, mas não admito que me enfiem goela abaixo crendices sejam quais forem.Assim, diga, onde fui ideológico?

Vocês parecem se projetar nos outros, isso é ruim.Ideológico foi vc ao anunciar uma conspiração evolucionista para esconder a verdade.

Mas é como vc disse: é sempre o mesmo discurso e a mesma choradeira em prol de respaldarem suas crenças e ideologias e tentar lhes dar o caráter de verdade suprema.

Hugo Hoffmann disse...

PARTE 1/3:

Caro Elyson Scafati,

Em seu último comentário senti um certo tom irônico sobre uma titulação (Mestrado) que ainda estou correndo atrás para alcançá-la. Por favor, isso não me faz superior a ninguém, em especial num assunto tão distinto da linha de pesquisa que estudo. Aliás, todos são capazes de ir até bem mais longe do que eu... inclusive você, acredite nisso!

Sinceramente, ficaria surpreso se um ativista sincero como você aceitasse este e qualquer outro argumento que vá contra sua cosmovisão. Nada de novo, novamente.

Obrigado pelas explicações sobre as diferenças de "teoria", "tese" e "teoria", me fez lembrar a 5° série do ensino fundamental.

Acho interessante a arrogância e falta de análise científica dos defensores do evolucionismo em aplicar o status de "única verdade" à Teoria de Darwin.

A metodologia científica nos ensina que quando não é possível repetir o experimento afim de obter os mesmos resultados ou não, utiliza-se a metodologia "Dedutiva-Indutiva", que se concentra nas seguintes definições:

DEDUTIVO: Se todas as premissas são verdadeiras, a conclusão deve ser verdadeira.

INDUTIVO: Se todas as premissas são verdadeiras, a conclusão é provavelmente verdadeira, mas não necessariamente verdadeira.

Portanto, como nem eu e nem você estavamos no início deste planeta, todas as teorias científicas que buscam explicar a origem da vida na Terra são INDUTIVAS.

Ou seja, existem evidências favoráveis e existem evidências desfavoráveis para TODAS as teorias que buscam tal explicação e isso permite que haja este nosso debate, inclusive.

A Teoria da Evolução possui muitas evidências provenientes da anatomia comparada e tinha assumido total hegemonia sobre a comunidade científica, até o advento da biologia molecular que tem demonstrado sistemas extremamente complexos que sem uma parte o todo não seria executado, como por exemplo a síntese proteíca celular.

Mas nem mesmo precisamos entrar no campo genético, basta olharmos para os registros fósseis mesmo. Os defensores de Darwin dizem que cada camada sedimentar depositada durou milhões e até bilhões de anos para estar da forma que a encontramos hoje, mas ai foi descoberto um fóssil de um animal disposto verticalmente atravessando várias "Eras Geológicas", como isso é possível?

(Continua...)

Hugo Hoffmann disse...

PARTE 2/3:

Pela última vez, e prometo que não mais, tentarei explicar o que é DI:

DEFINIÇÃO DE TDI:
"Intelligent design refers to a scientific research program as well as a community of scientists, philosophers and other scholars who seek evidence of design in nature. The theory of intelligent design holds that certain features of the universe and of living things are best explained by an intelligent cause, not an undirected process such as natural selection. Through the study and analysis of a system's components, a design theorist is able to determine whether various natural structures are the product of chance, natural law, intelligent design, or some combination thereof. Such research is conducted by observing the types of information produced when intelligent agents act. Scientists then seek to find objects which have those same types of informational properties which we commonly know come from intelligence. Intelligent design has applied these scientific methods to detect design in irreducibly complex biological structures, the complex and specified information content in DNA, the life-sustaining physical architecture of the universe, and the geologically rapid origin of biological diversity in the fossil record during the Cambrian explosion approximately 530 million years ago."

DI É CRIACIONISMO?

"No. The theory of intelligent design is simply an effort to empirically detect whether the "apparent design" in nature acknowledged by virtually all biologists is genuine design (the product of an intelligent cause) or is simply the product of an undirected process such as natural selection acting on random variations. Creationism typically starts with a religious text and tries to see how the findings of science can be reconciled to it. Intelligent design starts with the empirical evidence of nature and seeks to ascertain what inferences can be drawn from that evidence. Unlike creationism, the scientific theory of intelligent design does not claim that modern biology can identify whether the intelligent cause detected through science is supernatural.

Honest critics of intelligent design acknowledge the difference between intelligent design and creationism. University of Wisconsin historian of science Ronald Numbers is critical of intelligent design, yet according to the Associated Press, he "agrees the creationist label is inaccurate when it comes to the ID [intelligent design] movement." Why, then, do some Darwinists keep trying to conflate intelligent design with creationism? According to Dr. Numbers, it is because they think such claims are "the easiest way to discredit intelligent design." In other words, the charge that intelligent design is "creationism" is a rhetorical strategy on the part of Darwinists who wish to delegitimize design theory without actually addressing the merits of its case."

(Continua...)

Hugo Hoffmann disse...

PARTE 3/3:

DI É UMA TEORIA CIENTÍFICA?

"Yes. The scientific method is commonly described as a four-step process involving observations, hypothesis, experiments, and conclusion. Intelligent design begins with the observation that intelligent agents produce complex and specified information (CSI). Design theorists hypothesize that if a natural object was designed, it will contain high levels of CSI. Scientists then perform experimental tests upon natural objects to determine if they contain complex and specified information. One easily testable form of CSI is irreducible complexity, which can be discovered by experimentally reverse-engineering biological structures to see if they require all of their parts to function. When ID researchers find irreducible complexity in biology, they conclude that such structures were designed."

Alguém letrado como você não terá nenhum dificuldade com a leitura do inglês, tenho certeza disso, mas caso precise, no google existe um tradutor.

"Meu compromisso é com a verdade e não em defender uma crença". Permita-me fazer um questionamento, certo de que no seu próximo comentário eu seja contemplado:

[1] - O que é verdade?
[2] - Existe verdade absoluta em ciência?
[3] - Uma teoria pode assumir as premissas de apresentar TODAS as verdades?

O Criacionismo e nem o Design Inteligente não precisa de projetar nem em você e nem na Teoria do Evolucionismo que está afundando aos poucos no mar do conhecimento molecular. Nos baseamos apenas em evidências, muitas delas que vocês tentam explicar sem sucesso.

Se voce desejar prolongar esse debate, lhe digo que estarei disponível para rebater todos os seus argumentos, mas também lhe adianto que, para mim, é uma discussão sem fundamento, pois eu sei que não mudarei a sua forma de pensar e tão menos você fará isso em mim. Fique à vontade e volte sempre...

Elyson Scafati disse...

Hugo, DI não se trata de ciência,mas de pseudociência. A partir do momento que vc postula uma entidade como forma de explicar algo, vc simplesmente abandona o campo científico e se volta à teologia.

Sua argumentação é um equívoco completo. Para teorias com evolução, big bang, origens da vida, origem e fim das estrelas elas são todas indiretas.

Não é porque não estavamos aqui no começo (o velho e batido argumento criacionista) que temos de buscar em entidades sobrenaturais as nossas respostas. Podemos e muito bem montar o cenário e concluir o que aconteceu.

Em absoluto que a TE é uma verdade absoluta, pois estas em ciência contrariamente ao que prega a religião e suas versões requentadas como o DI postulam.

Vc faz alusão a sistemas complexos. É o velho argumento já naufragado da complexidade irredutível de Behe. Isso já caiu há muito. Vc anda meio desinformado.

Se a história do tal animal atravessado é verdade, isso pode muito bem ser explicado por movimentos tectônicos e não por hipóteses mirabolantes como o criacionismo e seus correlatos. Ou talvez deus tenha colocado ele ali.

Bem não vou discutir verdade com vc, em meu blog já expliquei isso exaustivamente. O compromisso de um cientista é chegar o mais proximo da verdade objetiva e não se pautar em argumentação erística que é o que mais vocês fazem.

Bem a teoria da evolução somente está afundando para os criacionistas em geral. Isso não se verifica no meio científico sério.

O DI é criacionismo disfarçado, como sabiamente decidiu o juiz John E. Jones III no caso Kitzmiller X Dover Area School District, cujo mérito da sentença afirmava “o DI não ser ciência, e não estar livre de seus antecedentes criacionistas religiosos, além de violar a Cláusula de Estabelecimento da Primeira Emenda da Constituição dos EUA”.

Quanto ao texto somente gostaria de saber quem o escreveu. Cite suas referências de modo que elas possam ser analisadas.

Elyson Scafati disse...

Hugo, DI não se trata de ciência, mas de pseudociência. A partir do momento que vc postula uma entidade como forma de explicar algo, vc simplesmente abandona o campo científico e se volta à teologia.

Sua argumentação é um equívoco completo. Para teorias com evolução, big bang, origens da vida, origem e fim das estrelas elas são todas indiretas.

Não é porque não estávamos aqui no começo (o velho e batido argumento criacionista – esse nem os crias de 5 não usam mais) que temos de buscar em entidades sobrenaturais as nossas respostas. Podemos e muito bem montar o cenário e concluir o que aconteceu.

De forma alguma que a TE é uma verdade absoluta, pois estas em ciência não existem. O cientista que alegar isso deve perder suas credenciais.

Contrariamente ao que prega a religião e, segundo suas versões requentadas, como o DI e criacionismo postulam, a verdade absoluta é o que está em seus sistema de crenças e ideologias. Portanto, verdades absolutas são de cunho meramente subjetivo, válidas apenas para sistemas específicos.

Vc faz alusão a sistemas complexos. É o velho argumento já naufragado da complexidade irredutível de Behe. Isso já caiu há muito. Vc anda meio desinformado ein?

Se a história do tal animal atravessado é verdade, isso pode muito bem ser explicado por movimentos tectônicos e não por hipóteses mirabolantes como o criacionismo e seus correlatos. Ou talvez deus tenha colocado ele ali.

Não vou discutir verdade com vc, em meu blog já expliquei isso exaustivamente.

O compromisso de um cientista é chegar o mais próximo da verdade objetiva e não se pautar em argumentação erística que é o que mais vocês fazem. Por mais confirmadas que sejam as teorias, jamais assumirão caráter de verdade absoluta. Mas basta uma experiência que a desconfirme para ela cair por terra.

Ex. o dia que for achado um ser humano em camadas do eoceno ou um tiranossauro em camadas do cambriano a TE cairá por terra. Sabe quando isso vai acontecer? Nunca. É o que damos o nome de predição teórica.

Elyson Scafati disse...

Assim, a teoria da evolução somente está afundando para os criacionistas em geral. Tal afirmativa não se verifica no meio científico sério.

O DI é criacionismo disfarçado, como sabiamente decidiu o juiz John E. Jones III no caso Kitzmiller X Dover Area School District, cujo mérito da sentença afirmava “o DI não ser ciência, e não estar livre de seus antecedentes criacionistas religiosos, além de violar a Cláusula de Estabelecimento da Primeira Emenda da Constituição dos EUA”.

Quanto ao texto somente gostaria de saber quem o escreveu. Cite suas referências de modo que elas possam ser analisadas.

Mas e ai quem é o designer ou ele é apenas postulado e colocado em uma redoma para não dar na cara dura que é um eufemismo para deus?

Criar entidades não resolve nada, não explica nada.

Design na natureza é evidente que existe. sem dúvida que podemos estudá-lo e nos valermos dele para muitas coisas.

Mas daí concluir-se que há um designer como fonte para a explicação desse design, vc não acha que é um salto epistemológico gigantesco?

O que propõe o DI é algo hilário. O design da natureza não é nada inteligente. a pseudoteoria deveria chamar-se stupid design: por que temos dores nas costas e nos joelhos? Por que baleias e serpentes ainda escondem membros? Por que girafas se tombarem correm sérios riscos de morrer? Por que há cervos que têm uma galhada tão imensa que os colocam em constante perigo de vida? Por que a beleza de certas aves é um chamariz de predadores? Por que um tubarão de cabeça para baixo entra em letargia? por que o sexo gasta tanta energia?

Ou seja o design é inteligente mas não é, pode ser que sim mas pode ser que não, talvez seja mas talvez não seja... sem falar que postula uma entidade (o designer) que pode ser sobrenatural, mas pode ser que seja de outro mundo o que induziria a um outro designer até sei lá onde, já que ela se isola dos deuses.

Enfim que diabo de teoria é essa que postula entidades mas se recusa a falar sobre elas e que o design pode ser mas pode não ser algo inteligente?

É o mesmo que dizer acredite que os seres evoluem mas deixemos de lado as explicações sobre evolução.