domingo, 26 de outubro de 2008

Enézio frustrado

Desta vez nosso heroi tupiniquim defensor do DI tenta por meio de jogadas retóricas rechaçar a história da transição entre répteis e aves.

vejamos o atigo abaixo:

aqui:

Cientistas chineses descobrem fóssil de possível elo entre dinossauros e aves

Da Efe
Em Londres


Cientistas chineses encontraram um fóssil de uma nova espécie que seria o elo da evolução dos dinossauros terrestres para as aves, o Epidexipteryx hui, que era coberto de penas mas não podia voar.

A equipe de pesquisadores da Academia de Ciências da China explica hoje na revista científica britânica "Nature" que a descoberta traz mais complexidade à história da evolução dos dinossauros para as aves e dá suporte à hipótese que a transição aconteceu a partir dos terópodes.



O estranho dinossauro com penas viveu na China entre os Jurássicos Médio e Superior e tem várias características do grupo dos terópodes, bípedes carnívoros.


O Epidexipteryx hui era coberto de penas mas não podia voar, segundo pesquisadores.

Este animal, do tamanho de uma pomba e que pesava cerca de 160 gramas, viveu pouco antes que o Archaeopteryx, considerado a ave mais antiga do mundo.

Muitas de suas características são as de uma ave, como dois pares de penas muito longas com o aspecto de laços que nasciam de sua pequena cauda.

Os cientistas, liderados por Fucheng Zhang, indicam, no entanto, que o Epidexipteryx hui não podia voar, pois tinha penas no contorno das extremidades.

Agora vejamos os comentários de nosso bastião tupiniquim defensor do DI:


Comentário do blog Desafiando a Nomenklatura Científica: A coisa realmente importante sobre este fóssil se encontra “enterrada” quase no fim do artigo da BBC:

“Em primeiro lugar, enquanto outros dinossauros com penas datam após o surgimento da primeira ave conhecida, este fóssil parece ser mais próximo no tempo, abrindo assim uma nova janela sobre os eventos evolutivos na transição crítica dos dinossauros para as aves.”

Este fóssil localiza-se entre o Jurássico Médio e Superior e o Archaeopiteryx é do Jurássico Superior.

Há dinossáuros como o Dilong que viveu no início do Cretáceo o que em nada afetaria a história das aves, pois não há problema algum que dinossauros emplumados tenha vivido no mesmo periodo que o Archaeopiteryx.


O problema com a seqüência dromeossauro a dinossauro com penas a aves é que este fóssil aparece numa seqüência reversa quase que perfeita no registro fóssil. Este novo fóssil coloca um dinossauro com penas aparentemente antes da primeira ave, sendo assim uma grande notícia.

Não sei a que problema o Sr. Enézio esta se referindo. Realmente houve um sério problema: o fóssil confirmou que dinsossauros emplumados apareceram antes das aves, o que confirma mais um ponto na história evolutiva destes seres a partir daqueles.

Este fóssil está abaixo do Archaeopteryx que geralmente é relatado como sendo do Jurássico Superior, e a primeira ave.

Era o esperado que um dia tal elo da corrente evolutiva das aves desse o ar da graça. É realmente uma pena que muito dessa história se perdeu e reconstruí-la não é tarefa fácil.


Eu me pergunto se eles [os pesquisadores] não têm algo mais em suas mangas. Esta descoberta não será tão significativa se eles descobrirem somente aves com este fóssil. Na verdade, descobrir aves no estrato abaixo do Archaeopteryx seria, sem dúvida, uma grande manchete, e colocaria ainda mais em confusão as atuais teorias darwinistas sobre a evolução das aves.

Os pesquisadores não possuem nada nas mangas Sr. Enézio. Foi o registro fóssil quem mostrou a existência do Epidexipiteryx Hui (que pena ein!! essa coisa tinha que aparecer né Enézio...). É culpa da natureza que essa coisa tenha existido e não dos pesquisadores.

Até o momento não se encontraram aves em extratos abaixo do archaeopiteryx. Assim, pelo que até então foi evidenciado, a teoria da evolução das aves a partir dos terópodes mais uma vez se confirma.

Seria bom Enézio você se perguntar o que, em termos científicos dá respaldo ao DI, o que esse criacionismo disfarçado traz de benefícios para o desenvolvimento da ciência e o que há dentro da caixa preta do Behe que respalda esse arremedo mal feito de criacionismo denominado DI.

Quanto à bricadeira da charge: aqui, é bom elucidar que ovos com casca começaram com os nematoides (os vermes cilíndricos).

Todavia, considera-se o brotamento (comum em poríferos e celenterados) como ovos, uma vez que o zigoto é lançado no mundo à própria sorte.

Assim, antes de se fazerem piadinhas que nada acrescentam ao conhecimento, é melhor consultar a vasta bibliografia científica que existe a respeito do assunto reprodução de metazoários (os animais com mais de uma célula).

Aos interessados aqui e aqui seguem explicações sobre reprodução das espécies.

2 comentários:

Sobre o ombro de gigantes disse...

Religiosos pseudocientíficos são capturados por suas próprias armadilhas retóricas e são incapazes de perceber um nova descoberta científica, uma nova interpretação senão como "falha do time adversário". Uma vez tentei argumentar com um deles da necessidade da TE ser refutada para o bem da ciância até que um novo pensamento a substitua - em bases científicas - mas isso é um pensamento muito mais perigoso que a teoria que combatem.

Luiz Cláudio - médico

Elyson Scafati disse...

Pois é doutor. Argumentos científicos tem de ser baseados em confirmações e não em retórica barata como fazem o Sr. Tupiniquim e a SCB.

Para refutar teorias científicas há necessidade de outra teoria que se confirme, não baseada em falácias ou sofismas mas em observações e desde que passe pelo crivo da comunidade científica.