quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Como os criacionistas funcionam


Este é um vídeo que exemplifica o funcionamento de uma mente criacionista (aqui).  

Simplesmente repete as mesmas coisas como um papagaio, sem ter a mínima noção do que está falando. Pior, ainda se acha sabido e a altura de discutir com cientistas de verdadade.


video




Discutir com criacionista é como jogar xadrez com um pombo. Ele derruba as peças, faz cocô no tabuleiro e volta voando para casa contando vitória.

23 comentários:

Anônimo disse...

Os criacionistas não mudam de ideia mesmo, da mesma forma que os evolucionistas. Nenhuma TEORIA foi comprovada cientificamente, embora tenham evidências das duas partes, algumas manipuladas (lembro-me de vários casos por parte da evolução) outras verdadeiras. Se você já conseguiu comprovar cientificamente, dê um alôzinho aos laboratórios que andam gastando milhões a procura da resposta. É preciso ter mais fé para acreditar no Evolucionismo do que no Criacionismo.

Anônimo disse...

Talvez a idéia de um criacionismo dando origem às espécies que depois dele evoluíram seria algo considerável.

Elyson Scafati disse...

Anônimo 1: vc como o criacionista do filminho sequer sabe o que é teoria.

Eu ajudo: é um conjundo de conhecimentos sistematizados e testados direta ou indiretamente que formam a base de um conhecimento. Ex. teoria da gravitação universal, teoria do eletromagnetismo, teoria do átomo, etc. Então a TE é uma teoria, já o criacionismo...

Acho que é meu karma repetir isso!!!!

Não há nada, absolutamente nada que respalde o criacionismo. Priimeiro, qual a evidência que vc apresenta que um ser divino exista? Segundo, se vc conseguir evidenciar a primeira questão, qual a sua evidência de que este ser tenha tomado parte em algum processo de criação. Terceira como este ser apareceu e de onde veio? Se é um designer, alguem desenhou o designer and so on. se for um ser divino, ninguém sabe ninguém viu... quarto, o que ele ficou fazendo no tempo infinito antes do universo e o que fará depois que o universo se for?

Se formos pelo lado bíblico da coisa, o que respalda a afirmativa de que o deus cristão e mais ou menos verdadeiro que um deus hindu?

Aqui vai o alozinho paera vc, pois os laboratórios já receberam ele há tempos:

Passe em, uma livraria e compre um bom livro de biologia evolutiva. O do Douglas Futuyma é excelente. Quem sabe alguns anos de leitura liquidem com o seu tormento e vc pare de falar tanta idiotice.

Anonimo 2:

Não há qualquer criação em separado neste planeta. Ou seja, todas as criaturas usam DNA ou RNA como materia genético, o que indica uma ancestralidade comum.

No mais, acerca de um "criadir" ou "designer", vale as mesmas observações acima sobre estas figuras mirabolantes.

Anônimo disse...

Hum, eu sou estudante e estava precisando fazer uma pequena dissertação sobre esse tópico. Eu sou bem leiga ainda no assunto, mas acredito que ambas são de extrema necessidade. Não acho que de fato alguém está certo ou errado por defender a religião ou a ciência. Até porque não me cabe julgar a crença de ninguém. Mas pra mim, as duas estão juntinhas, uma ao lado da outra. Cada uma tenta explicar a origem do Universo, só que uma abrange o lado espiritual, enquanto a outra abrange o palpável. Mas aí eu preciso estudar muito mais pra realmente ter uma opinião sobre tal, pois como já disse, sou leiga nesse assunto. E ah, se não fosse pedir demais, poderia dar uma olhada em minha dissertação e dar uma opinião sobre tal?

Agradeço desde já.

Anônimo disse...

Tambem acho o criacionismo uma idiotice e por isso gostei bastante do seu blog,mas... no vídeo ele fala de espécies de transição, qual foi ou foram as essa espécies em relação aos homens e macacos?

Feeling disse...

esse link é perfeito > vejam > http://a-feeling2010.blogspot.com/2010/12/cristianismo-judaismo-e-islanismo.html

Feeling disse...

esse link fala tudo > http://a-feeling2010.blogspot.com/2010/12/cristianismo-judaismo-e-islanismo.html

Elyson Scafati disse...

Anônimo 1:

hà um campo que delimita o que é científico do que é religioso.

Para falarmos a respeito da origem de algo, como o universo ou a vida, não dá para nos remetermos a explicações metafísicas. Elas não explicam nada, apenas empurram o problema para uma entidade, o que é uma patente violação do princípio de Ockham, ou seja, criamos entidades para explicar algo e tais erntidades necessitam de uma explicação. Resumindo criamos um problema dentro de um outro problema.

Ciência e religião se divorciaram na época dos gregos e os cristãos da idade média procuraram fazer novamente este casamento fadado ao fracasso. Após o iluminismo, finalmente entendemos que cada uma é cada uma, em seu campo de atuação.

A religião não deve cuidar de questões científicas mas apenas em "salvar a alma do indivíduo".

A religião não responde de forma objetiva qualquer questão, pois cada uma tem suas respostas de acordo com seu sistema (ex: para budistas há reencarnação e para protetantes o espírito dorme até o dia do juízo).

Para os judeus, islâmicos e cristãos deus criou o mundo em 7 dias, para os indianos o mundo é um eterno ciclo de ciação e destrioção em que os deuses têm de respeitar suas regras e são criados e destruídos com ele.

Em suma, ciência busca objetividade e religião é, em sua essencia subjetiva, ao gosto do fregês. Por essa razão é equivocado pensar que elas caminham de mãos dadas.

No mais onde está sua tese?

Elyson Scafati disse...

Anônimo 2:

Homens não evoluíram de macacos. Isso é um erro corrente que exite por ai. Primatas possuem ancestralidade comum.

A biologia molecular indica que homens e chimpanzes se separaram há uns 6 ou 7 milhões de anos e... surpresa!!!!

Encontramos um fóssil com a mesma idade (sahelantropus tchadensis).http://en.wikipedia.org/wiki/Sahelanthropus ; http://www.sahelanthropus.com/

Dessa forma pode-se dizer que o dito cujo acima é uma espécie de transição entre humanos e chimpanzes, que em nada se assemelhava a esses dois grupos.

Infelizmente primatas têm o péssimo hábito de gostar de viver em florestas, onde seus ossos se degradam muito rapidamente devido às adversidades do meio.

Anônimo disse...

" Como os criacionistas funcionam


Simplesmente repete as mesmas coisas como um papagaio, sem ter a mínima noção do que está falando. Pior, ainda se acha sabido e a altura de discutir com cientistas de verdadade"

Generalizar não é bom!

Elyson Scafati disse...

Anônimo:

Qual é o criacionista que se comporta com o mínimo de honestidade?

R. nenhum.

Luciano(Anônimo) disse...

Honestidade? em que sentindo você afirma de forma tão preconcebida?

Elyson Scafati disse...

No sentido da retórica furada e das artimanhas que se valem os criacionistas a fim de sustentar sua ideologia.

Não dirás falso testemunho = não mentir, não enrolar, não distorcer, não se aproveitar de quem um nível intelectuual inferior ou ainda não formado, inventar situações, ou seja, tudo o que criacionistas fazem.

Isso se chama estelionato intelectual.

Rafael Vida disse...

OLá oi! Bom dia! Bom artigo, obrigado. Ninguém é perfeito, talvez alguns criacionistas sejam mentirosos, mas o Dawkins ficou desorientado na entrevista do Design inteligente, sinal de que ele não tem o conhecimento adequado ou que seja mentiroso. Tiau.

Elyson Scafati disse...

Rafael, design na natureza existe, mas dizer que há um designer é um salto epistemológico imenso.

Dawkins, como qq outro cientista sensato, admite que para que a vida prospere, haja um design que a adapte às circunstâncias que determinado meio delas exija.

Poss perfeitamente estudar o design de uma barbatana, de uma asa, de um sistema digestivo, de uma folha, enfim, de qualquer coisa que pertença a um ser vivo.

Mas dizer que isso é inteligente, que se trata de um ótimo, não é correto. O design de um ser vivo não ér o ótimo, mas aquilo que responde às exigências do meio. Ex. um urso marrom e um branco, são adaptados ao seu meio. No entanto, se tratarmos de pelagem, ela não é o ótimo (aquela que o tornaria excelente a qq meio).

veja a desonestidade de Ben Stein:

http://www.youtube.com/watch?v=RTMr6GSYlCo&feature=player_embedded

Acho que Dawkins, apesar das investidade de seu intelocutor, deu as respostas corretas e esperadas.

outro fato foi o da palhaçada criacionista presente nesse vídeo acerca da informação genética:

http://www.youtube.com/watch?v=zaKryi3605g&feature=player_embedded


e a resposta:


http://www.skeptics.com.au/publications/articles/the-information-challenge/


Então, tire suas próprias conclusões acerca do que é ser honesto e do que é agir com desonestidade.

Aroldo Castelo disse...

Come é que vcs qurem que eu acredite na TE :
Tem evolucionista que crê que a especiação seja resultado de múltiplas mutações aleatórias guiadas pela seleção natural.Tem evolucionista que crê no equilíbrio pontuado.
Tem evolucionista que crê que a baleia seja descendente do mesochidian.Tem evolucionista que crê que ela seja parente dos hipopótamos.Tem evolucionista que acredita na paleontologia como guia na classificação filogenética
Tem evolucionista que crê somente na biologia molecular.Tem evolucionista que crê no australoptecus africanus como sendo um antepassado do homem.Tem evolucionista que cogita a sua retirada da árvore genealógica do mesmo.Tem evolucionista que crê que a ontogenia recapitula a filogenia (embriologia).Tem evolucionista que descartou essa possibilidade.Tem evolucionista que acha que todas as características fenotípicas do ser vivo sejam fruto exclusivamente de seu genótipo.Tem evolucionista que crê que existe muito mais fatores a serem avaliados (membrana celular, citoesqueleto, etc..).Tem tantas, mas tantas correntes diversas dentro do evolucionismo que a única coisa que os mantém unidos é a crença na evolução.
Não existem provas sólidas, nem sequer uma, em defesa do darwinismo. Nenhum dos problemas conceituais foram foram resolvidos. Não existe uma descrição, um modelo, capaz de explicar a complexidade de certos organismos. Não existe um modelo capaz de explicar as mutações aleatórias gerando espécies distintas. Não existe nenhum cálculo de probabilidades feito avaliando-se a possibilidade de que toda a biodiversidade tenha sido gerada a partir de um único organismo primitivo. Nem mesmo existem modelos que descrevam a origem da vida (não venham correr da raia e dizer que este não é um problema da evolução).

Aroldo C.Branco da nova disse...

Tem evolucionista que crê que a especiação seja resultado de múltiplas mutações aleatórias guiadas pela seleção natural.Tem evolucionista que crê no equilíbrio pontuado.
Tem evolucionista que crê que a baleia seja descendente do mesochidian.Tem evolucionista que crê que ela seja parente dos hipopótamos.Tem evolucionista que acredita na paleontologia como guia na classificação filogenética
Tem evolucionista que crê somente na biologia molecular.Tem evolucionista que crê no australoptecus africanus como sendo um antepassado do homem.Tem evolucionista que cogita a sua retirada da árvore genealógica do mesmo.Tem evolucionista que crê que a ontogenia recapitula a filogenia (embriologia).Tem evolucionista que descartou essa possibilidade.Tem evolucionista que acha que todas as características fenotípicas do ser vivo sejam fruto exclusivamente de seu genótipo.Tem evolucionista que crê que existe muito mais fatores a serem avaliados (membrana celular, citoesqueleto, etc..).Tem tantas, mas tantas correntes diversas dentro do evolucionismo que a única coisa que os mantém unidos é a crença na evolução.
Não existem provas sólidas, nem sequer uma, em defesa do darwinismo. Nenhum dos problemas conceituais foram foram resolvidos. Não existe uma descrição, um modelo, capaz de explicar a complexidade de certos organismos. Não existe um modelo capaz de explicar as mutações aleatórias gerando espécies distintas. Não existe nenhum cálculo de probabilidades feito avaliando-se a possibilidade de que toda a biodiversidade tenha sido gerada a partir de um único organismo primitivo. Nem mesmo existem modelos que descrevam a origem da vida (não venham correr da raia e dizer que este não é um problema da evolução).

Aroldo C.Branco da nova disse...

Teorias para o aparecimento do voo
- DINOSSAUROS - Essa teoria é a mais aceita e difundida entre os cientistas. Segundo a mesma as aves teriam evoluído a partir de pequenos e ágeis dinossauros terópodes (e não de enormes dinossauros como Tyrannosaurus, Triceratops e Apatosaurus). Com os milhões de anos eles adquiriram penas e posteriormente aprenderam a voar.
- ARCOSSAUROS - Essa teoria é a 2ª mais aceita entre os cientistas. Supõe-se que as aves teriam evoluído dos arcossauros, um grupo de répteis que também deu origem aos dinossauros, pterossauros e crocodilos, As aves então teriam evoluído bem antes até dos Archaeopteryx, há mais de 200 milhões de anos.
- CROCODILOS a teoria é a menos aceita e defende a tese de que as aves evoluíram a partir de um grupo primitivo de crocodilos terrestres. Baseia-se em uma poucas e vagas semelhanças entre as aves e pequenos crocodilianos terrestres encontrados nos depósitos fósseis.
- PTEROSSAUROS - Essa teoria é uma das mais antigas e atualmente já não é mais defendida por ninguém. Baseia-se na semelhança externa entre aves e pterossauros. Nesse caso porém as semelhanças terminam por aí. De resto esses dois grupos eram bem diferentes. É um típico caso de evolução convergente.
Qual delas devemos acreditar ??
Só dá para acreditar...

Aroldo C.Branco da nova disse...

Evolucionistas brigam entre si devida a falta de compreemsão de como a TE funciona veja aqui http://www.guardian.co.uk/science/2012/jun/24/battle-of-the-professors

Afinal você por exemplo acredita no Equilíbrio Pontuado ou no Gradualismo? Porque evolucinistas estao em pé de guerra...

Elyson Scafati disse...

Aroldo, vc não deve acreditar em nada. As ciências não são uma questão de fé.

Vc deve apenas se pautar pela teoria cujas evidências se mostrem mais favoráveis.

Quanto às suas alegações, apenas demonstre que vc está certo em vez de vir com "diz-que-me-diz".

Apresente os artigos científicos que citam as divergências que vc alega.

Quanto a todas as correntes evolutivas que vc cita, elas compõem a teoria da evolução, construíndo seu arcabouço teórico.

os biólogos evolucionistas não discordam do fato da evolução ter ocorrido. Eles apenas discordam como as formas que ela ocorreu.

São estas divergências que constróem o arcabouço das teorias científicas. Estas correntes teoricas não divergem, elas se completam.

Vide a gravitação de Newton, a teoria da relatividade geral e a teoria quântica da gravidade.

Realmente, as origens da vida não são um problema da teoria evolutiva, mas da abiogênese química, que podemos dizer ser um problema da química orgânica e inorgânica e da bioquímica. Somente à partir do momento que surge algo que se possa definir como vida (que tenha um metabolismo, que capte energia do meio e que passe suas carcterísticas adiante, esta última, não necessariamente, pois uma mula está viva, mas não se reproduz) é que se pode falar em evolução da espécie.

É o mesmo que vc dizer que estudar o átomo é um problema das reações químicas. Este é um problema da física quântica.

No mais quanto ao resto de seus argumentos, vc está muito mal informado. Poderia derrubar um por um deles, mas, "por amor ao meu saco", deixo a tarefa para vc pesquisar todas as suas alegações.

No mais, se vc é um criacionista, independente de tudo em teoria evolutiva estar completamente errado (o que é falso), não é por essa razão que, automaticamente, o criacionismo estaria validado.














Elyson Scafati disse...

TRABALHOS CIETÍFICOS COMPROVANDO MACROEVOLUÇÃO POR MECANISMO DARWINIANO? Pois não:


- Gingerich, P. D. (1987). "Evolution and the fossil record: patterns, rates, and processes". Canadian Journal of Zoology 65 (5): 1053–1060.


- Rice, W.R.; Hostert (1993). "Laboratory experiments on speciation: what have we learned in 40 years". Evolution 47 (6): 1637–1653.


- Hedges, S. B. (1994) "Molecular evidence for the origin of birds." PNAS 91: 2621-2624.


- Hedges, S. B. and Poling, L. L. (1999) "A molecular phylogeny of reptiles." Science 283: 998-1001.


- Rieseberg LH, Willis JH (August 2007). "Plant Speciation". Science 317 (5840): 910–4.


- Reznick DN, Ricklefs RE (February 2009). "Darwin's bridge between microevolution and macroevolution". Nature 457 (7231): 837–42.

...sendo que o último é de 2009, bem recente!

Elyson Scafati disse...

No mais Aroldo eu diria para vc estudar o tema teoria da evolução em sites sérios e por meio de livros também sérios (aqueles usados em universidades), em vez de se fiar no site do Lelenézio.

Muito cuidado com as distorções, falsas bibliografias, quote mining dentre outras sacanagens.

A ciência é movida por controvérsias e essas controvércias é que fazem a ciência avançar e nos levar ao conhecimento.

Nós cientistas temos medo de ficar no erro e não de sermos corrigidos ou questionados de nossos posicionamentos.

A controvérsia é saudável para o avanço científico, diferentemente do que o Jeguézio quer fazer transparecer, como se onde há controvérsia há desacordo ou uma guerra.

O que há são buscas por respostas. Por isso, pouco importa se Dawkins ou Wilson estão certos ou errados em suas posições.

O que importa é termos respostas satisfatórias para os problemas, pautadas estas respostas em evidências plausíveis e não em blablabla.

Mas agora, fazer como Desonestenézio faz em assumir um designer como resposta, me poupe. Isso se chama ARGUMENTO DA IGNORÂNCIA, aliado à PREGUIÇA.

Lembre-s: na controvérsia, todos os lados devem ser ouvidos, porém se um dos lados soemnte falar idiotices, deve ser posto de lado.

Marcus Vinicius S. Oliveira disse...

Mesmo sendo cristão e considerando-me como aquilo que, talvez, pudesse ser chamado de "um criacionista intuitivo" (isto é, alguém que simplesmente crê, sem maiores pretensões ou necessidade tresloucada de conferir "status científico" às minhas convicções), devo admitir que ouvir estas pataquadas proferidas pelo personagem "criacionista" aqui retratado foi algo que, de fato, aguçou bastante o meu senso de humor. Se um dos objetivos do vídeo era fazer rir, o mesmo foi atingido com maestria e precisão. Especialmente em trechos geniais como esse, transcrito logo a seguir, que fizeram-me gargalhar um bocado diante da tela: "Me desculpe, Dr. Finch, mas ciência requer evidências, e eu temo que simplesmente não haja evidências para a evolução, e não existem fósseis transicionais. A ciência não produziu (sic) sequer um único fóssil transicional... ESPERE UM POUCO, JÁ ESTOU QUASE TERMINANDO. Não existe qualquer evidência para a evolução, e vocês nunca produziram um único fóssil sequer. Nem sequer um! E não existe evidência para a evolução, e não existem fósseis transicionais. Não existem fósseis transicionais, nem sequer um. Não existem fósseis transicionais. Onde está a evidência? Não existe nenhuma. Não existem evidências para a evolução, nem ao menos um fóssil de uma espécie transicional. Nem sequer um." kkkkkk muito boa! Ah, e antes que eu me esqueça, sei que a teoria da evolução possui, sim, uma porção de evidências que a apoiam; dentre estas, uma boa quantidade de fósseis que atualmente são considerados transicionais. Não é demérito nenhum para um criacionista admitir isso, se ele for sincero.